Jovem observa peixes robóticos em Gangneung, na Coreia do Sul. A difusão de conhecimento e tecnologia entre os países se intensificou em virtude da globalização (foto: Richard Ellis/UPI/Newscom).

Jovem observa peixes robóticos em Gangneung, na Coreia do Sul. A difusão de conhecimento e tecnologia entre os países se intensificou em virtude da globalização (foto: Richard Ellis/UPI/Newscom).

Gráfico da semana: A difusão de ideias e da inovação

30 de julho de 2018

Jovem observa peixes robóticos em Gangneung, na Coreia do Sul. A difusão de conhecimento e tecnologia entre os países se intensificou em virtude da globalização (foto: Richard Ellis/UPI/Newscom).

A globalização acelerou a difusão de conhecimento e tecnologia através das fronteiras. Isso ajudou a aumentar a produtividade e o crescimento potencial em muitos países e em escala mundial.

O avanço tecnológico é o principal fator por trás das melhorias da renda e dos padrões de vida. Mas a tecnologia tende a se difundir entre os países em diferentes velocidades.

A globalização acelerou a difusão de conhecimento e tecnologia através das fronteiras.

Nosso gráfico da semana mostra como o conhecimento flui entre países e regiões. Para rastrear esses movimentos, um estudo recente do FMI analisa quantas vezes os países citam inovações patenteadas dos líderes tecnológicos como conhecimento prévio em seus próprios pedidos de patentes.

O gráfico mostra que, em 1995, Estados Unidos, Europa e Japão lideravam a lista de citações de patentes no mundo. Em anos mais recentes, China e Coreia (indicadas em conjunto como “outros países da Ásia”) passaram a utilizar cada vez mais o acervo mundial de conhecimento, medido pelo número de citações de patentes. Os laços de conhecimento, de modo geral, também se intensificaram ao longo do tempo, tanto dentro das regiões (setas vermelhas) como entre elas (setas azuis).

por-cotw-chart-technology

Embora a globalização venha sendo alvo de críticas por seus possíveis efeitos colaterais negativos, o estudo destaca um importante benefício: ela estimula a difusão de conhecimento e tecnologia. Mas a interconectividade por si só não é suficiente. A assimilação de conhecimentos externos e a capacidade para tirar proveito deles na maioria das vezes exigem know-how científico e de engenharia.

Investimentos em educação, capital humano e pesquisa e desenvolvimento nacionais são essenciais para formar a capacidade de absorver e empregar com eficiência o conhecimento externo. É preciso também proteger e respeitar devidamente os direitos de propriedade intelectual mdashhere— em escala nacional e internacional mdashhere— para preservar a capacidade dos inovadores de recuperar custos e, ao mesmo tempo, assegurar que os novos conhecimentos apoiem o crescimento mundial.

As autoridades também devem assegurar que os benefícios positivos da globalização e da inovação tecnológica para o crescimento sejam amplamente distribuídos entre toda a população, inclusive ao evitar que as empresas inovadoras explorem as novas tecnologias para obter um controle excessivo do mercado em detrimento dos consumidores.